Wednesday, September 13, 2017

A Bíblia Sagrada e a Família de Adão - 4ª parte

A Família de Adão

Depois de ser expulso do Jardim de Éden, Adão perdeu a Palavra de Deus, em substituição a Palavra de Deus era necessária oferecer um sacrifício para restaurar o fundamento de fé, mas não há registro que Adão ofereceu um sacrifício, em vez disso, seus filhos Caim e Abe fizeram as ofertas. (Gn 4:3-7; Mt 6:24); pág. 105

Deus dividiu simbolicamente Adão em duas partes através de seus filhos, Caim e Abel, ambos, frutos da Queda de Eva. No primeiro ato de amor decaído, Eva foi motivada por seu desejo excessivo de desfrutar daquilo que ainda não era o momento. (Gn 3: 5)

Caim fruto do primeiro ato de amor decaído entre Eva e o arcanjo foi escolhido para representar o mal. Abel fruto do segundo ato de amor decaído entre Eva e Adão foi escolhido para representar o bem. Pág. 106

Satanás tinha maior afeição por Caim, Deus optou para tratar com Abel. (Gn 4: 4-7)

Plano Original de Deus – A Vontade de Deus não foi cumprida
2ª falha depois da Queda de Eva e Adão

Não era para Caim matar Abel, era para Abel ajudar a Caim e Caim aprender com Abel (Gn 4: 8)

Deus golpeou os primogênitos (Ex 12:29); amou o segundo filho Jacó e rejeitou Esaú dentro do ventre. (Rm 9: 11-13); Jacó abençoou o segundo neto na posição de Abel. (Gn 48:14); de acordo com este princípio, Deus colocou Caim e Abel em posições onde cada um poderia tratar com apenas um senhor.

Deus aceitou a oferta de Abel porque ele estava em um relacionamento mais próximo de Deus. (Gn 4: 3-5; Hb 11:4) Pág. 106

Exemplo de situação de Caim e Abel dentro de nós mesmos entre e mente e corpo (Rm 7: 22-25) Pág. 106
Os seres da Criação estão na posição de Abel (Jr 17:9) Pág. 106

Jesus está na posição de figura Abel. (Jo 14: 6) Pág. 106

Toda a Criação geme com dores. (Rm 8: 22) Uma das finalidades de fazer uma oferta simbólica de todas as coisas é permitir que as coisas possam ser parceiros-objeto de Deus em símbolo. Uma vez que os seres humanos caíram para uma posição inferior às coisas da criação. (Jr 17: 9) Pág. 108

Podemos aprender através das ofertas de Caim e Abel que Deus não podia instruir como fazer corretamente suas ofertas, era porção de responsabilidade deles, que Caim fizesse sua oferta com a ajuda de Abel.
Mesmo após Caim ter matado Abel, Deus iniciou um novo capítulo de Sua Providência estabelecendo Sete no lugar de Abel. (Gn 4: 25)
Deus nos ensina que os homens decaídos devem constantemente procurar por uma pessoa de tipo Abel para realizar a vontade de Deus. Pág. 108

Referência das paginas: http:Principio-Divino-Edicao-1996

Tuesday, September 5, 2017

A Bíblia Sagrada e a Queda Humana - 3ª parte

A Queda Humana

A Árvore da vida simboliza um homem que cumpriu o ideal da Criação em sua totalidade, seria o Adão perfeito. (Gn 2:9; Pv 13:12; Ap 22:14: Gn 3:24) Pág. 35
A Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal representaria a mulher ideal, a Eva perfeita. (Gn 2:9) Pág. 36
“não comerás” é uma ordem ou advertência de Deus, era responsabilidade de Adão e Eva de acreditar na Palavra de Deus. Quando Adão e Eva estavam em fase do período de crescimento. (Gn 2:17) Pág. 31

Plano de Original de Deus - A Vontade de Deus não foi cumprida
1ª falha da História da Humanidade

A responsabilidade dos primeiros antepassados Adão e Eva era acreditar na Palavra de Deus e não comer do fruto, se eles tivessem obedecido a Deus, eles atingiriam a perfeição, o ideal da primeira bênção e não seriam expulsos do Jardim do Éden e alcançariam a árvore da vida.
“Não é bom que o homem esteja só.” Deus planejou que Adão e Eva realizam a primeira bênção e depois eles deveriam unir-se como marido e esposa. (Gn 2:18) Pág. 27
Antes de caírem, o homem e a sua mulher que estavam nus não se envergonhavam (Gn 2:25) Pág. 38

A Identidade da Serpente

A serpente era capaz de falar, conhecia a vontade de Deus, simboliza um ser espiritual, um anjo chamado o diabo e satanás. (Gn 3:1; Ap 12:9; II Pe 2:4; Is 14:12)  Pág. 37
Será que nosso bondoso e amado Pai Celestial teria criado um fruto tão atraente, e colocando-o no alcance das mãos de Seus filhos com o risco de matar eles? (Gn 3:6; Mt 15: 11) Pág. 35
Depois de cair, eles conheceram que estavam nus; e coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais. O ato de cobrir as suas partes inferiores depois da Queda, isto indica que eles pecaram com as suas partes inferiores. (Gn 3:7; Jó 31:33) Pág. 38
O crime do Anjo era semelhante aos crimes cometidos em Sodoma e Gomorra que cometeram imoralidade sexual. (Jd 6-7) Pág. 37
Ap. Paulo reconheceu que nós pessoas decaídas provimos da linhagem de satanás e escreveu em Rm 8:23 que estamos esperando a adoção, a saber a redenção de nosso corpo.
Jesus disse ao povo: “Vós tendes por pai ao diabo” (Jo 8:44; Mt 12:34 e 23:33) que foi identificado como satanás, a antiga serpente, devido a um relacionamento sexual ilícito entre o anjo e a Eva; e João Batista disse: “Raça de víboras” (Mt 3:7) isto é filhos de satanás. Pág. 38

O Significado do Fruto

O fruto da Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal significa o amor de Eva. Ela comeu do fruto do mal relacionando se como satanás e multiplicou a linhagem má que contaminou toda a humanidade. Pág. 38
Deus disse à serpente – o anjo decaído: “sobre o teu ventre andarás e pó comerás” (Gn 3:14; Is 14:12; Ap 12:9) significa que o anjo se tornaria um ser miserável e foi precipitado na Terra.  Pág. 38

A Raiz do Pecado

A raiz do pecado não foi o ato dos primeiros antepassados terem comido um fruto, mas sim um relacionamento sexual ilícito entre um anjo simbolizado pela serpente e a Eva. A palavra “fruto” não pode ser interpretada no sentido literal.

Os Anjos

Os Anjos são servos e assistentes: Hb 1:14; mensageiros: Gn 18:10; Mt 1:20; Lc 1:31; At 12:7-10; Ap 22:9; oram e glorificam a Deus: Ap 5:11-12; Ap 7:11-12; temos autoridade para julgar os anjos (I Co 6:3). Pág. 38

A Queda espiritual e Física

Exemplos de relacionamento entre anjos e homens: caso de um anjo que lutou com Jacó. (Gn 32: 25); Três anjos que visitaram Abraão. (Gn 18: 8); dois anjos visitaram a casa de Ló. (Gn 19:1-5)
Deus nomeou Lúcifer, que significa “estrela da manhã” para a posição de arcanjo. (Is 14:12) ;
Lúcifer, simbolizado pela serpente, sentindo que estava recebendo menos amor, seduziu Eva, e isto foi a motivação da Queda espiritual. (Gn 3:5-6); depois de criar os seres humanos como Seus filhos, Deus passou a amá-los mais do que Lúcifer, criado como Seu servo, situação semelhante à parábola Mt 20:1-15. Pág. 40
Eva, imatura e contaminada pelo arcanjo rebelde, então seduziu Adão, num relacionamento precoce. Esta foi a motivação que levou Eva e Adão à Queda física. Pág. 40

As Consequências da Queda Humana

Toda a humanidade fica ligada a linhagem de satanás foi por este motivo que Jesus disse: “Vós sois do diabo.” Jo 8: 44; Mt 12: 34; 23: 33 e João Batista em Mt 3: 7; o apóstolo Paulo escreveu estamos aguardando a adoção para ser filhos de Deus e a redenção do nosso corpo. Rm 8: 23
Satanás é o príncipe deste mundo: Jo 12:31; II Co 4:4; a criação aguarda os filhos de Deus: Rm 8: 19-22

Satanás está rodeando a terra: Jó 1: 6-12; entrou em Judas: Lc 22:3; e Pedro: Mt 16:23; os maus são chamados anjos do diabo: Mt 25: 41. Pág. 42

Referencia das Páginas no Princípio Divino: Principio-Divino-Edição-1996

Thursday, August 24, 2017

A Bíblia Sagrada e o Princípio da Criação - 2ª parte

A Criação

O fato que levou seis dias, isto é, seis períodos de milhões de anos de tempo para a criação do universo, implica que o tempo foi necessário para a criação de cada ser individual. O livro do Gênesis relata a contagem de cada dia desta forma: “E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro.” (Gn 1:5) Um ser criado deve atravessar um período de crescimento, simbolizado pela noite, antes de alcançar a perfeição na manhã. Todos os seres alcançam a perfeição somente depois de passar por um período de crescimento. (Pág. 30)

Deus disse: “Façamos” no plural (Gn 1:26) Não significa que Deus estava se referindo a Si mesmo como Trindade, Ele estava falando com os anjos que havia sido criado antes dos seres humanos que estavam participando do processo da criação. Pág. 38

Paulo disse em Rm 1: 20: “os atributos invisíveis de Deus,... claramente se veem nas coisas que foram criadas.” O universo criado é uma manifestação substancial da natureza divina do Criador invisível.
 “E criou Deus o homem a sua imagem; homem e mulher os criou.” (Gn 1:27; I Co 11: 7 ) É natural deduzir que Deus existe baseado no relacionamento recíproco entre Suas características duais de masculinidade (yang) e feminidade (yin) Pág. 19

Jesus atingiu a unidade com Deus através de uma perfeita ação de dar e receber. Jesus veio com amor e sacrifício, inclusive ofereceu sua vida. (Jo 3: 16) Pág. 22

Os cristãos se esforcem de restaurar os relacionamentos horizontais de dar e receber entre as pessoas, centralizadas no amor de Cristo. Assim podemos restaurar nosso relacionamento vertical de dar e receber com Deus. (Mt 7: 1-2, 12; 10: 32, 41-42) Pág. 22

O fundamento de quatro posições é a raiz do número quatro. Ele é realizado por Deus, marido e esposa e filhos. É a finalidade eterna da Criação de Deus; a base fundamental para a vida de todos os seres, fornecendo todas as forças necessárias para a sua existência e permitindo a Deus habitar neles. (Gn 1: 28) Pág. 22 
 
Deus viu que a sua Criação era boa. (Gn 1: 4-31) Deus queria que Suas criações fossem parceiros-objetos que encarnassem o bem para que Ele pudesse sentir alegria. Pág. 26
Após sua Criação, Deus abençoou Adão e Eva: “Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai... sobre todo animal...” (Gn 1: 28) Estas são as três grandes bênçãos: frutificar (tornar-se maduro e pronto para dar frutos), multiplicar e ter domínio sobre a Criação. Se Adão e Eva tivessem obedecido ao mandamento, eles com seus descendentes teriam construído o Reino do Céu e cumpriu a finalidade pelo qual Deus criou o universo. Pág. 26

Tornar-se “santuário de Deus” (I Co 3:16) E “vós, em mim, e eu, em vós.” (Jo 14:20) É a realização da primeira bênção de Deus, o aperfeiçoamento do caráter individual. A mente e o corpo se unam através da ação de dar e receber, com Deus no seu centro, realizando a união com Deus, alcançando a natureza divina. Pág. 26

O mundo espiritual está na posição de parceiro-sujeito e o mundo físico na posição parceiro-objeto. (Hb 8: 5)
No monte da transfiguração os espíritos de Moisés e Elias apareceram diante de Jesus: “E eis que lhes apareceram Moíses e Elias, falando com ele.” (Mt 17: 3) – apesar que tinham morrido centenas de anos antes. Pág. 32

Ap. Paulo escreveu estamos esperando a “manifestação dos filhos de Deus” (Rm 8:19) e que “toda a Criação está com dores de parto” (Rm 8:22)
Devido à Queda humana, o universo perdeu seu dono, a ação de dar e receber entre os mundos físico e espiritual foi interrompida. Pág. 33

Jesus falou: “o que ligares na terra terá sido ligado nos céus,...” (Mt 16:19 e 18:18)
Jesus veio à Terra na carne para salvar a humanidade pecadora. Nós temos que levar uma vida de bem enquanto estivermos na Terra. Não é Deus que decide se o espírito de uma pessoa vai para o Céu ou para o inferno após a sua morte. Pág. 34

A Conclusão do Propósito da Criação de Deus
Se Adão e Eva tivessem atingido a perfeição, sendo incapazes de pecar, teriam gerado bons filhos e fundado uma família e uma sociedade sem pecado em completa concordância com as bênçãos de Deus. (Gn 1: 28) Eles teriam realizado o propósito da Criação de Deus que é também chamado o Reino do Céu na Terra. Pág. 48   

Referencia das páginas: 
http://www.youblisher.com/p/94905-Principio-Divino-Edicao-1996/





Tuesday, August 22, 2017

Bíblia Sagrada e Princípio Divino - 1ª parte

Introdução

Milhões de cristãos estão dependendo de uma interpretação correta da Bíblia para reconciliar e unificar todas as denominações que surgiram ao longo da historia do cristianismo, isto seria um primeiro passo e o próximo seria a harmonia com o judaísmo e em seguida tratar com o islamismo e as demais religiões para definir os valores morais e espirituais universais comuns afim de guiar toda a humanidade no Reino de Deus.   

Como já foi prometido pelo profeta Joel, no Antigo Testamento (Jl 2: 28-29) e pregado no discurso de Pedro no livro de Atos 2: 17, nos últimos dias, o Espírito Santo se manifestara através de profecias, visões, sonhos, prodígios, sinais e milagres. Com a plenitude do tempo, Jesus e Deus ungiram o reverendo Sun Myung Moon para revelar o Princípio Divino. Uma nova revelação, inspirada por Deus, que vem iluminar nossa época, elucidando e clarificando os mistérios difíceis e outros enigmas escondidos na Bíblia.
   
O Apóstolo Paulo escreveu: “Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus. Mas vejo nos meus membros outra lei que batalha contra a lei do meu entendimento,... Miserável homem que eu sou!” (Rm 7: 22-24) ? Existe uma grande contradição em cada pessoa. A mente original e a mente má estão conflitando. (Pág. 11)


Jesus falou: “virá a hora, em que não vos falarei por parábolas, mas abertamente vos falarei acerca do Pai”. (Jo 16:25); e porque o anjo falou: “Importa que profetizes outra vez a muitos povos e nações,...” (Ap 10:11) Jesus indicou que um dia, Deus revelará uma nova verdade, não numa linguagem codificada, em uma linguagem clara, com a plenitude do tempo, nos últimos dias, novas revelações de Deus chegarão para a humanidade. (Pág. 13,15)

As referencias de Páginas podem ser encontradas no livro do Princípio Divino no link a seguir:



Sunday, April 9, 2017

What if Jesus Had Been Accepted as the Messiah?

What if Jesus Had Been Accepted as the Messiah?
Based on the article of HOWARD KAINZ 


Jesus was crying for the people of Jerusalem. He had come to save them, but most were not willing to be saved. Even though they had rejected him and his salvation, he had compassion on them.

Various Scriptural passages indicate that Jesus, before his trial and execution, had hoped for a very different outcome of his sojourn on earth:
“Jerusalem, Jerusalem, you who kill the prophets, and stone those sent to you, how many times I yearned to gather your children together, as a hen gathers her young under her wings, but you were unwilling!” (MT 23:37).
St. John Chrystostom paraphrases the Lord’s lament: “Even these murders of yours would not have alienated Me from you, but I would have taken you to Me, not once or twice, but many times.” This passage, and a passage from Luke, “If only you had known, in this day, the things that are to your peace; but now they are hidden from your eyes” (LK 19:42 ) – indicate that there was a “Plan A,” which turned out to be unworkable, because of contingencies, and due to the ignorance of the Jewish leaders (Act 7: 51-53) and now had to be replaced by “Plan B.”
Plan A, of course, would have involved acceptance by the Jews of Jesus’ messiahship. One can imagine this taking place, in spite of the distrust and rumblings of the powers-that-be in Jerusalem at that time.  Jesus had secret disciples like Nicodemus and Joseph of Arimathea, and no doubt a substantial minority of the scribes and Pharisees (probably including the Pharisees who warned Jesus about dangers from Herod (Lk. 13:33) or the ones mentioned in Acts 15:5 as converted after the Resurrection) were seriously considering the claims of this carpenter from Nazareth. It could have happened that one or more of these interested but timid persons may have “gone public” suggesting to their confreres that Jesus might be the Anointed One, and that the authorities should avoid moving precipitously to hostile measures.
Eventually a growing majority in the Sanhedrin, heartened by the fact that Jesus was incredibly meek like Moses, who was the “meekest man on earth” (Num. 12:3), and had promised not to abrogate the Mosaic law, but to fulfill it, might have been able to temper the opposition.  They might also have taken to heart his admonitions about misunderstanding the Sabbath, and about the subordination of cleansing rituals, etc. and became attentive to the more substantial elements of the law.
The prophecies of Isaiah 9, 11, 60 and the revelation of the angel Gabriel in Lk 1: 31-33 were for “Plan A” and 
Isaiah 53 for “Plan B” and other prophets indicating that the Messiah would be a “suffering servant” and spurned were not irrevocable.  
As in the case of the predictions of the prophet Jonah about the destruction of Nineveh, God is always hopeful that a change of heart will take place, so that impending punishments will be called off.  Free will, both for the individual and for peoples, is always of the essence. It was not fated that so many Jews should fail to recognize their Messiah.
So, what would have happened if Plan A were implemented, and Jesus was able to gather the children of Jerusalem “under his wings?” St. Cyril of Alexandria interprets “under his wings” as meaning “under the shelter of his power.” The Messianic expectations at the time were well expressed by the crowd that came together at Jesus’ Ascension: They asked him, “Lord, are you at this time going to restore the kingdom to Israel?” (Acts 1:6).  Israel at that time was under the hegemony of the Roman Empire, with only a puppet king. Would Jesus somehow bring about the culmination of the Davidic kingship in such an unlikely context?
What would have been the “things that are to your peace” (Lk. 19:42), that Jesus regretfully wishes would have been implemented? St. Theophilus of Antioch interprets Jesus as telling the Jews that he would have freed the Jews from oppression by the Romans: “I came to visit and to save you, which if you had known and believed on Me, you might have been reconciled to the Romans.” How would such a reconciliation take place?  If Jesus, son of David, were honored as king of the Jews, rather than Herod Antipas, appointed by the Romans as Jewish king, certainly a different mode of “kingship” would start to prevail in Israel.

Would the “Star of David” become the prevailing symbol of Christianity? 
Certainly the religion that would worship God “in spirit and truth” (Jn. 23-24) would be much more Jewish in appearance than present-day Christianity – not just the candles, the tabernacle, priestly vestments, liturgical borrowings, etc.
Presumably, if peace with the Romans had ensued, the Temple in Jerusalem would have been protected under the power of the Messiah from destruction in 70 A.D.  In the Temple unbloody sacrifices might still be offered, after the pattern of the sacrifice of fruits, grain and wine already offered by Jews in addition to the sacrifice of animals.
Most important, however, we should consider the fact that there was a Plan A as well as a Plan B. This offers us evidence of the continuing sort of dialogue that God carries out with the world – God is desirous of pouring out all manner of benefits, but depends almost rigidly on free-will cooperation and making adaptations in response to both individual and group decisions.

If St. Paul’s prediction in Romans 11:25-26 that the Jews will finally be converted after the Gospel has been preached to the whole world, something like Plan A may eventually be implemented after all, at some time in the future when Jesus’ compatriots proclaim, “blessed is he who comes in the name of the Lord.” The vision of Isaiah 60:1 of Jerusalem as the “light of the world” may then be finally implemented.

http://www.crisismagazine.com/2012/what-if-jesus-had-been-accepted-as-the-messiah

Monday, February 20, 2017

Vinho Novo Sobrenatural

Vinho Novo Vinho Sobrenatural

Eu vou beber do vinho sobrenatural
Quero transbordar
Vinho novo
Vinho novo
Vinho novo

Vinho sobrenatural 




O Vinho Novo Sobrenatural representa o Vinho distribuído pelo Senhor da Segunda Vinda no Últimos Dias, na volta de Jesus (Cristo), na ceia das Bodas do Cordeiro - Ap 19: 7-9. 

Representa também o "Sangue do Cordeiro" que lava o pecado original do Jardim do Éden e que restaura o direito à Arvore da Vida - Ap 22: 7.  

Esta providencia de Deus começou na Terra em 1960 quando foi revelado e proclamado o Nome dos Verdadeiros Pais. 


Thursday, February 25, 2016

Preparação para a Segunda Vinda do Cristo


O Pr Gary Ham pregou sobre "O Sacerdócio do crente" na Igreja da Paz de Santarém, em Dez 2015, baseado no versículo em Dt 10: 8.
Ele começou para lembrar que o momento mais importante da historia de toda a humanidade é a Segunda Vinda de Jesus Cristo, é o evento o mais esperado e preparado por Deus, os anjos, os santos no mundo espiritual e todos na Terra e no Céu estão numa grande expectativa para este evento cósmico. 

Segue o comentário que deixei no Youtube:

Excelente pregação cheia do Espirito Santo...!!! Infelizmente os
crentes de hoje na grande maioria não estão bem preparados... Da
mesma forma que os crentes e os líderes da época de Jesus
falharam a reconhecer Jesus como Messias. (Mt 11: 3); as
doutrinas convencionais elaboradas ao longo dos séculos a partir
de varias interpretações, desde Paulo que não conhecia Jesus
pessoalmente, passando para sucessões de teólogos e
pensadores... Vão ser um grande obstáculos e dificuldades para
aceitar a "Volta de Jesus" ... Precisamos além de praticar todos os
pontos que Pr Gary pregou, cultivar um coração humilde e buscar
a inspiração Divina ... e estudar o Princípio Divino 
http://pt.slideshare.net/chrislepel/exposicao-do-pd-1-hora que é a
preparação essencial para entender e saber interpretar como
acontecerá Ap. 19: 7; 21: 1 e 22: 14...